Transplante de córnea: saiba em quais situações é preciso fazer

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

transplante de córnea

A córnea é um dos elementos de revestimento mais importantes do globo ocular. Como funciona como uma lente, ela é responsável por garantir a focalização das imagens. Quando há problemas corneanos, a visão embaçada é um dos primeiros efeitos.

Embora muitos casos possam ser corrigidos facilmente, há aqueles em que apenas o transplante de córnea é eficiente. Em tais condições, a estrutura afetada é substituída por uma saudável de um doador.

Por se tratar de um procedimento complexo, ele não é indicado para todos os casos. Por isso, veja quando o transplante de córnea é feito e entenda quais são os seus resultados.

O leucoma é uma importante doença que leva ao procedimento

De acordo com uma pesquisa da Sociedade Brasileira de Oftalmologia (SBO), o leucoma foi a principal doença motivadora do transplante corneano em Pernambuco.

Essa condição é caracterizada pela opacificação da córnea, de maneira semelhante ao que acontece na catarata.

O problema é congênito ou pode ser consequência de outras situações, como herpes ocular ou cicatrizes de trauma. Diante do diagnóstico, o transplante é a única maneira de recobrar a visão adequada.

O ceratocone é uma das principais causas para a cirurgia

Enquanto isso, o ceratocone é um quadro degenerativo que é conhecido pela deformação do formato da córnea. Nessa condição, a estrutura assume uma forma cônica progressiva, o que dificulta a passagem correta de luz.

No começo, o uso de lentes corretivas ou de dispositivos como o anel de Ferrara ajuda a conter o desenvolvimento. Em pacientes avançados, entretanto, somente o transplante de córnea devolve a acuidade visual.

transplante de córnea

O problema tem fator hereditário, mas também acontece com maior prevalência entre jovens de até 30 anos e entre pessoas que coçam os olhos com intensidade, como os alérgicos.

A perfuração ocular é outro motivo para o transplante de córnea

Além das doenças, outros quadros podem levar à indicação do procedimento, como é o caso da perfuração corneana. Quando alguém sofre um acidente e tem a córnea perfurada, ela deixa de funcionar corretamente.

Em vez de realizar uma cirurgia de reparo, que não é eficiente, a substituição é o único caminho possível. Essa situação é extremamente emergencial, de modo que o atendimento deve acontecer com urgência.

Dependendo do nível de perfuração ou da gravidade do problema, o paciente ganha prioridade máxima na fila de transplante.

As lesões corneanas geram indicações para o quadro

Mesmo quando a estrutura não é perfurada, o transplante de córnea pode ser uma consequência de lesões específicas. O contato intenso com produtos químicos abrasivos como ácidos, por exemplo, normalmente leva à exigência de fazer a cirurgia.

Outras possibilidades são as lesões causadas por quadros diversos e até por uma coceira intensa, como quando a unha entra em contato com a região. Diante do comprometimento do elemento, o processo de substituição é o caminho para garantir a saúde da visão.

O transplante de córnea é indicado para doenças corneanas e também para quadros que afetem o funcionamento da estrutura, como acidentes. Contudo, somente um médico pode indicar a necessidade de realizar a cirurgia e visitar o oftalmologista é indispensável.

Nos comentários, diga se você tem alguma dúvida sobre esse procedimento e não deixe de participar.

Comentários no Facebook

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×