Mapeamento da retina: como é e quando fazer?

0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

mapeamento da retina

Cuidar da saúde dos olhos é fundamental para garantir uma boa visão e tratamentos adequados. Embora diversas condições sejam identificadas rapidamente, como um defeito refrativo, várias outras exigem uma investigação complexa.

Para ajudar com tal atenção, alguns procedimentos são indicados e entre eles está o mapeamento da retina. Como oferece uma análise completa dessa importante membrana ocular, é fundamental reconhecer esse recurso.

Se quiser entender melhor, continue lendo e veja o que é o mapeamento da retina e quando ele deve ser feito.

O que é esse mapeamento?

Ao visitar um oftalmologista, é muito comum que seja feito o exame de fundo de olho. Além de ajudar a identificar a pressão intraocular — uma característica ligada ao glaucoma —, é um jeito de verificar se existe algum problema na retina. A questão é que, em geral, apenas a parte central é avaliada.

Com o mapeamento da retina, entretanto, é feita uma “varredura” em todo o fundo do olho. Isso é determinante para verificar se existe algum quadro periférico na estrutura ou algo que exige uma atenção especial.

Ele é feito pela exposição ocular a um feixe de luz intenso e até quem tem catarata ou outras condições de opacificação consegue realizar a avaliação.

Quando o mapeamento da retina deve ser feito?

Esse exame não é uma alternativa de rotina e dificilmente é feito em uma consulta normal. Na maior parte do tempo, ele só é solicitado quando o médico tem algum motivo para crer que existe uma retinopatia.

mapeamento da retina

Fumantes, hipertensos e diabéticos, por exemplo, são mais suscetíveis aos problemas nessa área. Como os nervos são afetados, a retina pode ficar sem a alimentação fornecida pelo sangue e perder parte de sua função. Ao reconhecer o histórico do paciente, é provável que o médico faça o procedimento.

Ele também é solicitado quando há indicações de descolamento de retina ou Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI). Muitas vezes, é um exame complementar para o paciente que reclama de manchas escuras e abruptas, bem como de dores na região dos olhos. Serve tanto para descartar outras doenças quanto para aproximar o diagnóstico do especialista.

As pessoas com outros problemas de visão, como os míopes ou que têm glaucoma, também devem recorrer à alternativa. Além de identificar condições, é uma forma de fazer o acompanhamento de progressão.

Por que é importante realizar o exame?

Muitas doenças oculares são silenciosas, inclusive questões na retina ou outras deficiências do fundo do olho. Quanto mais tempo elas passam sem tratamento, maiores são os danos e menor é a qualidade de vida. Portanto, fazer o mapeamento da retina é importante, em primeiro lugar, para manter a segurança.

Além disso, ele é um procedimento não invasivo que oferece um entendimento completo do funcionamento de vasos e estruturas do fundo de olho. Ao mesmo tempo em que é simples, rápido e indolor, gera um conhecimento fundamental.

Para completar, os resultados do mapeamento ajudam o profissional especialista a definir tratamentos e as melhores formas de prevenir ou reduzir a perda da acuidade visual.

O mapeamento da retina é um exame importante para verificar a saúde do fundo de olho e o desenvolvimento de condições. Graças a ele, é possível cuidar melhor da visão e obter ótimos efeitos!

Se ainda tiver alguma dúvida sobre esse elemento, deixe um comentário para que possamos ajudar!

Comentários no Facebook

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×