Plástica Ocular

Home / Plástica Ocular

A Cirurgia Óculo-plástica é muito diversificada e abrange tanto a área da pálpebra como as vias lacrimais e a órbita. Existem diversas técnicas que têm como foco o respeito à integridade do globo ocular e da função visual:

Cirurgia Reconstrutiva – tratamento de tumores;
Cirurgia Reparadora – tratamento de feridas e as más-posições;
Cirurgia da Ptose – tratamento para a pálpebra caída;
Cirurgia das Retrações – faz parte do quadro de tratamento da tireóide.

Podemos identificar a pálpebra pesada a partir de três fatores: excesso de pele na pálpebra superior; olheiras, que correspondem a um afinamento do tecido palpebral associado a uma hiperpigmentação; e presença de bolsas de gordura.

O tratamento mais indicado para este problema é a blefarosplastia, um tipo de cirurgia ambulatorial, com anestesia local, que tem como intuito reduzir ou até mesmo suprimir as imperfeições palpebrais.

Esta cirurgia tem ótimos resultados e um pós-operatório muito simples, com a retirada dos pontos no quinto dia após o procedimento. Nos primeiros dias pode haver dificuldade em fechar os olhos, lacrimejamento e sensação de olho seco.

Com técnicas bem codificadas a blefarosplastia, permite excelentes resultados estéticos e funcionais.

O Blefaroespasmo é caracterizado por contrações involuntárias dos músculos palpebrais e de outros grupos musculares da face.

As injeções de toxina botulínica são eficientes no tratamento dos casos de blefaroespasmo essencial e hemi- espasmo facial, pois ela alivia as contrações, provocando a paralisia do músculo afetado por cerca de 3 a 4 meses.

A cirurgia é indicada nos casos em que a toxina botulínica não tiver efeito.

As rugas são causadas pelas repetitivas expressões faciais que fazemos durante toda a vida. A perda de proteínas, como colágeno e elastina em consequência da idade, também contribuem para a falta de elasticidade da pele.

A oftalmologia atua no tratamento de rugas nas áreas da fronte e da região periocular (pés de galinha), através da aplicação da toxina botulínica tipo A, que provoca o relaxamento temporário do grupo muscular destas áreas.

O tratamento é indicado para pessoas entre 30 e 60 anos, que não têm alergia conhecida ou doença crônica. Após a aplicação pode haver uma queda da pálpebra superior e visão dupla, mas estas complicações são transitórias e desaparecem espontaneamente.

O procedimento para a aplicação da toxina botulínica é efetivo, rápido e indolor.